André aparece como homem generoso, disposto, aberto, entusiasta. Era filho de Jonas de Betsaida, irmão menor de Pedro.

Foi discípulo de João Batista, junto ao qual conheceu o apóstolo João, e com ele seguiu primeiramente a Jesus, a quem levou seu irmão Pedro.

Suas intervenções no grupo dos apóstolos são poucas, mas significativas.

Ante a multidão faminta, André mostra a Jesus um garoto que levava cinco pães de cevada e dois peixes, como a exortá-lo a renovar seus prodígios. E foi ele quem fez a pergunta a que Cristo respondeu com o sermão escatológico.

Finalmente, André mostrou-se, particularmente aberto ao problema missionário; juntamente com Filipe e nas formas prescritas pelo judaísmo, deu garantias das boas disposições dos pagãos que queriam aproximar-se de Jesus.

Algumas tradições referem que André desenvolveu seu ministério apostólico na Grécia e na Ásia Menor. Segundo tais tradições, morreu mártir em Patras, sobre uma cruz disposta em X.

Paulo VI restituiu à Igreja Oriental as relíquias de Santo André, que se conservavam em S. Pedro e foram reconduzidas a Patras.

André é o primeiro missionário entre os Apóstolos: testifica-o João, que com ele estava na hora do chamado (hora décima). Logo após o encontro com Jesus, André dá testemunho junto ao irmão Simão: ”Encontramos o Messias!” e leva-o a Jesus.

 Rachel Lemos Abdalla